A DOR DOS DIFERENTES.

Atualizado: 5 de Dez de 2019

Tabus sexuais: atos, palavras ou símbolos sexuais proibidos numa dada sociedade por motivos sociais ou religiosos. (FURLANI, 2009, p.87)

Vamos pensar juntos na seguinte situação: algumas pessoas estão reunidas em uma festa, onde encontram-se homens, mulheres e crianças. Pessoas ditas “de família” com suas famílias. De repente, entra um casal homossexual com seus filhos, uma família, também convidados da festa.

Qual seria sua atitude diante disso? O que faria com seus filhos? Afinal, eles fazem exatamente como os outros casais, se acariciam, andam de mãos dadas ou abraçados, cuidam de seus filhos, deixam as crianças brincarem com as outras crianças.

Como é o comportamento dos casais religiosos presentes no evento?

Já presenciei pais que tiram seus filhos da festa e vão embora, outros se juntam em rodinhas e começam a julgar este casal. É chocante para muitas pessoas estarem no mesmo ambiente que homossexuais, pois Deus disse que família são somente as compostas por casais heterossexuais e seus filhos. Será mesmo que Ele disse isso?

E se você, de uma família religiosa, tiver um filho gay? Já vi casos de filhos serem expulsos de casa pois Deus não aceita isso. Outras famílias engolem em seco e só permitem o seu filho, mas não seus namorados.

Conheço uma família em que o filho é gay, e saiu de casa para trabalhar fora, mas quando voltou trouxe um namorado. A família o havia aceitado, mas este filho volta sempre com o namorado para visitar seus pais. Mas aí já é abuso demais, de vez em quando até dá para aceitar, mas sempre não, melhor proibir ou mudar de casa e não ter que enfrentar em si mesmo a vergonha de ter um filho diferente que a sociedade e a igreja condenem. E então eu pergunto a vocês, quem foi que criou este ser? Os pais, obviamente, e aí vem aquele pensamento, “onde foi que eu errei?”. Ou, “nossa, deve ter sido na escola, na creche, aprendeu com a babá, não partiu de nós”.

E quem foi que disse que as pessoas tem que ser todas iguais, tem que ter desejos iguais, será que esta pessoa não pensa, sente, dói, sofre com o que os pais, a sociedade e as igrejas fazem?

Por que não conversar com seus filhos e filhas sobre isso? Por que não acolher seus filhos e seus namorados? Por que acolher o filho e não o namorado?

Isto é um tabu, e tabus devem ser descontruídos, ultrapassados, pois leva muitas pessoas ao ódio, a mágoas, rancores e dores atrozes, somente porque não temos coragem de olhar para nós mesmos e ver para onde nossos desejos apontam.

E o tabu não só atinge homossexuais, mas transgêneros, travestis, prostitutas etc. E em nome do sagrado e do “correto” vamos sendo cruéis com seres que sentem e sofrem como nós.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

autoconhecimento@ednamartin.com.br

(14)997176291

  • YouTube
  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter ícone social

Orgulhosamente criado com Wix.com