ADOLESCÊNCIA



Adolescer não é fácil para ninguém, esta fase transitória deve ser muito bem acompanhada pelos educadores.

Este período é de perturbação natural pois o adolescente está passando por um período transitório, onde há confluência de todas as forças interiores: as memórias, a projeção da personalidade constituída na infância e o desejo sexual, acontecendo assim a ação efetiva da inteligência na realidade atual.

Na infância a maioria dos seres vivenciam a desestrutura familiar, com experiências de todas as ordens, tanto fisiológicas quanto psicológicas e isso causa no adolescente as crises agudas de comportamento e atitudes.

É um período de indefinição daquilo que se é, nem criança e nem adulto, causando extremos sofrimentos. O adolescente é um vulcão em erupção.

Como isso é fator inerente à condição humana, é imprescindível que os educadores, percebam que não tem diante de si, simplesmente um indivíduo rebelde, mas em constante estado de dor, dor e sofrimento.

A rebeldia é natural no período da adolescência, pois sem ela não seria possível aquele ser buscar o seu espaço, mas aguda vai produzir gestação precoce, doenças sexualmente transmissíveis, drogas lícitas e ilícitas, compulsão sexual, compulsão alimentar, anorexia, mas o maior sintoma de uma crise aguda é invisível para a maioria dos pais, que é a compulsão na área da sexualidade e todos os distúrbios referentes a ela e a última pessoa que essa inteligência no adolescer em crise confiará serão os pais.

Exigindo dos educadores, doses de tolerância e vontade firme, até que o educando estruture a contenção do desejo, o direcionamento da vontade e o equilíbrio da irritabilidade, que é muito intensa neste período.

Podemos então concluir que muito mais que aborrecentes e rebeldes temos seres em transformação na área fisiológica e psicológica e se encontrando com a sociedade e suas consequências.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo