PORQUE ESTAMOS EM QUARENTENA OU ISOLAMENTO SOCIAL?


Deixo aqui minha contribuição a este momento em que estamos vivendo e que eu não imaginei que viveria, por um simples motivo, não me atentei aos acontecimentos planetários, a história da humanidade, que já passou por muitas epidemias, pestes e pragas ceifando muitos corpos de uma só vez, e que elas poderiam aparecer novamente, parecia estar mais propício para guerras do que para pandemias.

Vivemos nos sentindo até seguros com toda esta tecnologia, com a medicina tão avançada, com a movimentação rápida de tudo e de todos.

Primeiro vamos ao significado de dicionário da palavra quarentena, pois já nos remete pelo seu nome a 40 dias, nem mais nem menos?

- qua·ren·te·na |ê|

(talvez do francês quarantaine)

substantivo feminino

1. Número de quarenta.

2. Oração pública ou festividade que se repete durante quarenta dias.

3. Período que devem passar num lugar isolado pessoas, animais ou mercadorias, provenientes de país atacado de epidemia.

4. [Brasil] Período durante o qual alguém que exerceu determinado cargo estratégico não pode exercer funções remuneradas em empresas ou organizações onde possa utilizar informação privilegiada para seu benefício ou para benefício da entidade para quem trabalha.

de quarentena

• Até ulterior exame, em observação, de reserva.

"quarentena", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/quarentena [consultado em 11-04-2020].

Estamos em quarentena ou isolamento social e para ser mais preciso podemos pegar o item 3 do dicionário que diz: “Período que devem passar num lugar isolado pessoas, animais ou mercadorias, provenientes de país atacado de epidemia. ”

Então as pessoas que vem de alguma região atacada por epidemia devem ficar isoladas para não transmitir a doença as outras pessoas daquele local.

E na atualidade não temos para onde correr, todos os locais do planeta estão afetados, só nos resta a nossa casa. E a ela estamos resistindo, esta casa que tanto desejamos quando estamos trabalhando, mas quando somos obrigados a ficar nela parece que está repleta de espinhos e queremos sair.

Por ser um organismo vivo o planeta Terra de tempos em tempos se ajusta, e não se esqueçam que vivemos em sua crosta. Somos muitas vezes chacoalhados por tsunamis, terremotos, vulcões, furações e muitos micro-organismos, aceitos ou não pelo corpo humano, e estes não aceitos provocam um desequilíbrio total levando este corpo a sucumbir a este ataque.

Viver na crosta de um organismo vivo deveria nos chamar a atenção para nossa vulnerabilidade pois podemos ser atacados a qualquer hora inclusive por objetos que possam adentrar a camada terrestre e cair nas nossas cabeças, como os meteoros.

Tudo o que tem no planeta terra e inclusive ele, nasceu e vai morrer e o intervalo disso chamamos de vida.

A existência humana está em risco neste momento no planeta Terra por algo invisível a olho nu, mas real, e tem abatido muitas vidas.

E porque o vírus está predominando?

Porque sendo novo não conhecemos seu modus operandi neste momento. E por outro motivo, temos uma dinâmica de vida muito rápida, podemos estar em vários países num mesmo dia e por onde anda um ser humano, leva em sua bagagem não só roupas e outros objetos de uso pessoal, mas bactérias, vírus, fungos e tudo mais que existe e usam o corpo humano como hospedeiro, e por onde ele anda ali ele deixa seu rastro e outros corpos que por ali passam serão os próximos hospedeiros. Este é o motivo de Covid-19 se alastrar com tanta rapidez.

A contaminação de acordo com os profissionais da saúde se dá por gotículas nasais e orais e como levamos muito a mão na boca, olhos e nariz facilmente damos dinâmica ao contágio.

Somos convidados hoje a ficar em casa para diminuir esta velocidade pois não temos na área de saúde hospitais suficientes para atender a todos de uma só vez.

Estamos também num instante de repensar as prioridades da vida humana, diferente do que muitas vezes pensamos o pilar mais importante da sociedade é a saúde, pois sem ela não haverá corpos saudáveis, a vida humana é frágil e todos os demais pilares deveriam ser criados em torno deste pilar.

Somos seres inconscientes de nós mesmos, e somos levados pela fala de outras pessoas, como se nos conduzissem pela mão como crianças, afinal temos medo, muito medo e qualquer coisa que possa nos mostrar um caminho é lá que corremos mesmo que tenhamos que nos aglomerar e ir contra as recomendações.

Se até agora não nos interessamos por nos conhecer deveríamos aproveitar esta dor, este medo e este momento para ver cara a cara a morte, ela está ali tão presente sempre, mas neste momento ela está muito mais, quando vemos muita gente morrendo de uma só vez o cérebro entra em alerta, sentimos no nosso corpo o perigo, o risco. O que podemos fazer agora?

Podemos por exemplo estar conosco mesmos, sentir a dor, o medo e ver nossos pensamentos passarem, sentir nossa fragilidade, se preparar para aquilo que não queremos que aconteça, mas que inevitavelmente vai acontecer: vamos morrer. E viver cada dia como se fosse o último dia de nossas vidas. E isso não quer dizer que devemos sair correndo para fora de casa para viver tudo o que não vivemos até agora, e sim ficar em casa se puder e se fazer companhia, estar presente em nós, nos ver, nos acolher e nos cuidar.

E aos profissionais de serviços essenciais deixo aqui o agradecimento, pois eles estão na linha de frente enfrentando, e muitas vezes morrendo para que mais corpos sobrevivam a estas intempéries do momento.

Somos dependentes, e que saibamos valorizar, tanto a nós mesmos quanto aos outros que de alguma forma nos propiciam a continuidade.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo